• mapasconfinamento

Tiago D. Oliveira





TROPISMOS




I


pousos de pássaros e fios, detenho-me também

em um tempo sem lives. lagartixas ilesas ao sol,

coleciono agora saudade. toda beleza é ruína.



II

a voz é memória. Chaplin. a televisão.

nosso alpendre ao vento ornando a vida lá fora,

deixo folhas de papel pautado soltas na janela.




III


alguém atravessa a rua, rindo ao celular,

não sabe se bebe ou esfrega o álcool 70%.

arrependo-me dos abraços que não dei.




IV


conter a velocidade é negar o mundo:

faço versos noturnos fitoterápicos com o sono

em julgamento. esqueço-os todos durante o dia.



V


é latência, mesmo com a dança ministerial.

eviterno sentir sob os acontecimentos:

crescimento é dor trans/carnal.







CRISTO



I


Enquanto o vento

sopra o sal

em nossos olhos,

um som erige

deste mar saqueado.


II


contra as pedras

escuto, defesa é

respirar. vejo ali

a Barra, colho

o dia como

quem o plantou.

não. eu preservo

a distância ainda

com olhos fechados –

defesa é respirar:

a mobília, paredes

em cores incessíveis,

de repente, boi,

a peleja, vozes,

tudo é água.

defesa é respirar,

quando os pingos

de sal caem

em meu rosto.

mas há ainda

a cadeira, mnemônica

de uma fé:

e o peso

de um monóculo

em meu bolso

é fuga – Deus?



II


que não encontro os amigos. eu, que não digo mais poemas. eu, que não abato a saudade agora. como se tudo pudesse voltar. como se de onde paramos, conseguisse soletrar o luto. é impossível prever os pingos deste mar sobre a rocha, sobre o meu corpo, sinto –

defesa é respirar.



III


e o desejo é apenas

um canto de sereia



IV


enquanto o vento

sopra o sal

em nossos olhos,

um som erige

deste mar saqueado.


V


defesa é respirar.




Nasceu em Salvador, Brasil, graduado e mestrando em Letras pela UFBA, tendo passado pela UNL (Portugal). Tem poemas publicados em blogs, portais, revistas e jornais especializados no Brasil, Portugal e Espanha. Participou também de antologias no Brasil e em Portugal. Publicou Distraído (poesia, 2014), Debaixo do vazio (poesia, 2016), Contações (poesia, 2018), As solas dos pés de meu avô (poesia, publicado no Brasil e em Portugal), e Mainha (poesia, 2020). Escreve para o portal literário Letras In.Verso e Re.Verso. Finalista do prêmio Oceanos 2020 com o livro As solas dos pés de meu avô, e Vencedor do Selo João Ubaldo Ribeiro 2020, na categoria poesia, com o original Soprando o vento.


He was born in Salvador, Brazil, and graduated in Literature from the UFBA, where he’s an MA student. He also studied at the UNL (Portugal). He has published poems on blogs, websites, magazines and literary newspapers in Brazil, Portugal and Spain. He has also contributed to anthologies in Brazil and Portugal. He published Distraído (poetry, 2014), Debaixo do vazio (poetry, 2016), Contações (poetry, 2018), As solas dos pés de meu avô (poetry, published in Brasil and Portugal), and Mainha (poetry, 2020). He contributes to the literary website Letras In.Verso e Re.Verso. He was shortlisted for the prize Oceanos in 2020 and winner of the Selo João Ubaldo Ribeiro 2020, for poetry category.


Né à Salvador da Bahia, il est diplômé en lettres (Salvador et Lisbonne). Ses poèmes ont été publiés dans des blogs, des revues et des journaux spécialisés au Brésil, au Portugal et en Espagne, ainsi que dans des anthologies au Brésil et au Portugal. Il a à son actif cinq recueils de poésie: Distraído, Debaixo do vazio, Contações, As solas dos pés de meu avô (également publié au Portugal, 2021) et Mainha. Il collabore aussi au portail littéraire Letras In.Verso e Re.Verso. Finaliste du Prix Oceanos 2020 avec le recueil As solas dos pés de meu avô, il a remporté le Prix João Ubaldo Ribeiro 2020, dans la catégorie poésie, avec le recueil original Soprando o vento.


www.tiagodoliveira.wordpress.com

38 views0 comments

Recent Posts

See All