photo (4).JPG
135419878_3561887940560566_5281911817870

Em Fevereiro de 2021, Gabriela Ruivo Trindade e Nuno Gomes Garcia, ambos escritores, portugueses e emigrantes, ela em Londres, ele em Paris, resolveram lançar um desafio a vários artistas:

"A ideia é assustadora, mas há já um ano que vivemos tempos estranhos e novos: uma pandemia a galope, confinamentos sucessivos, medos vários, agravação de situações de isolamento, de desigualdade e de pobreza. A saúde mental ressente-se, quando não é a outra a deitar-nos por terra.

Pensámos que seria bom trabalharmos em conjunto para marcarmos da melhor forma o aniversário desta nossa nova forma de vida. Encontrar um projeto artístico comum, nestes tempos difíceis, pode dar-nos um alento inesperado. Ver romancistas, poetas, ilustradores, tradutores, fotógrafos… das mais diversas origens – tendo a língua portuguesa como denominador comum – a contribuírem para um projeto que sirva de memória futura, que caracterize e descreva o momento (verdadeiramente) histórico que estamos a viver, é algo de enorme relevância. Desenharmos em conjunto os mapas do confinamento que cada um de nós experienciou, tanto física como emocionalmente, ou elaborarmos um manifesto de revolta contra as políticas desastrosas de (des)apoio à cultura que vemos grassar por esse mundo fora é, a nosso ver, absolutamente essencial.

 

Os livros, o teatro, os museus… deveriam ser considerados bens de primeira necessidade. Os profissionais da cultura encontram-se abandonados e entregues à sua sorte. Unirmo-nos numa empreitada comum poderá tornar-se também um ato de resistência."