• mapasconfinamento

Sebastien Rozeaux

Atualizado: 21 de fev.




MAGNIA



1


Esta é a história de um gato

De uma gata

Magnia.


Esta é a história de um gato ao qual chamamos Magnia

Porque ela é fogosa como Anna Magnani

Porque ela é italiana, romana, e também medici.


Esta é a história de um gato de apartamento em Roma

Paris e depois Toulouse, à medida que o lar crescia

Céline primeiro, Sébastien depois e, por último, Laurel.


Esta é a história de um gato de apartamento que, longe de Lisboa

Preferiu ficar, porque à saudade do regresso

E às longas viagens não se quis expor.


Esta é a história de um gato de apartamento que no verão adorava

Estender-se na pedra quente do terraço de uma casa

No Cantal, antes do regresso ao lar.


Esta é a história de um gato de apartamento que do alto dos seus quinze anos

Nunca passou tanto tempo confinado; era algo novo e agradável

Ser assim servida, acariciada e coberta de beijos sempre que quisesse.


Esta é a história de um gato entalado entre quatro paredes

Que via pela janela a primavera trepar

Os plátanos das margens do canal ao meio dia.


Esta é a história de um gato fincado no rebordo e que arrulhava

Quando os pássaros pousavam num galho bem perto

Ansiosa pela chegada do verão para reconquistar o terraço soalheiro.


Esta é a história de um gato de apartamento que voltou a Toulouse

Como o confinamento de um outro género, pois

As escolas permaneciam abertas enquanto o seu apetite se fechava.


Esta é a história de um gato que teve de visitar os veterinários

E de quem nós cuidámos durante as semanas de clausura,

Almejando pelo regresso da saúde e alegria à nossa casa.


Esta é a história de um gato vulnerável e veemente que era preciso seguir

Até à gamela ou à casa de banho, o olhar insistente

Até que da torneira jorrasse água fresca.


Esta é a história de um gato de apartamento que, passado o ano novo,

Saltava para a mesa implorando por um naco

De carne ou de queijo, parmesão sobretudo.


Esta é a história de um gato que se aguentou sem perder a graça

Até aos idos de março, quando de repente deixou de comer

A não ser a erva verde trazida do jardim de Saissac.


Esta é a história de um gato que em vez de reconfinar

Se instalou com a primavera na varanda do jardim ensolarado

Encostada ao muro de pedras secas, ao abrigo de uma oliveira

Esperando a hora de saltar para uma nova, serena vida.


2


Esta é a história de um gato

De uma gata

Magnia.



Traduzido do francês por Nuno Gomes Garcia



Fotografias de ©Céline Gaille – Studio Hans Lucas

As fotos foram tiradas durante os dois primeiros confinamentos em 2020, Toulouse.

https://celinegaille.com/



 

Sebastien é professor adjunto de História na Universidade de Toulouse Jean Jaurès. Especialista de história do Brasil contemporâneo, publicou em 2019 Préhistoire de la lusophonie (a ser publicada no Brasil pela Hucitec em 2022). É autor de três romances publicados na França: Le Barbu céleste (2014), La garde républicaine (2017) e Passé outre (2020). Morou em diversos países, entre os quais Itália, Espanha, Brasil e Portugal. Vive atualmente em Toulouse, no sul da França.


Fotógrafa francesa, Céline reside em Toulouse, depois de ter passado por Paris, Lisboa, Roma e Nova Iorque. A sua escrita pessoal alimenta-se do questionamento sobre o facto de se ser “estrangeiro”, o sentimento de exílio, a identidade e as origens. Depois de uma estadia em Lisboa, publicou uma monografia sobre o segredo de família e a manipulação fotográfica: “Accepte-le, un álbum portugais 1919-1979”, editora The Eyes Publishing – um trabalho que deu lugar a uma exposição no quadro do festival "Encontros da imagem" em Braga, 2016.


www.celinegaille.com


148 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo