• mapasconfinamento

Lahissane













MEU BARCO DE PAPEL


Quero esculpir um barco

de papel branco,

colocá-lo na margem do mar

inchá-lo de belos sonhos

e deixá-lo embarcar para longe.


A minha alma fará remos

desafiando as altas ondas,

fará preces por esta nação

que não vê a cintilação do sol,

seus olhos estão encharcados de lágrimas.


Meu barco de papel

branco, irá pela manhã

logo que os galos anunciarem

a vinda do santo sol.


Meu barco de papel

será imponente e carregado de luz

nem o mar, nem o vento o destruirá

ele irá como a arca do Noé.




Identificação artística de Lucas Silvestre Maxlhaieie. Nascido em Maputo, Moçambique, vive atualmente na Província de Gaza. Licenciado em direito pela Escola Superior de Economia e Gestão, é jurista e professor primário na Vila de Caniçado Guijá. Em 2017, recebeu o prémio de Destaque literário no 27ᵒ Concurso Internacional de poesia ALPAS 21, Brasil. Publica nas revistas Mahungo, Soletras, Xitende (nacionais) Incomunidade (Portugal) e no Jornal Correio da Palavra (Brasil). É membro da Associação Cultural Xitende, poeta, declamador, fotógrafo, organizador de saraus culturais e promotor de festivais de poesia nas escolas secundárias da Província de Gaza.


Artistic name of Lucas Silvestre Maxlhaieie. Born in Maputo, Mozambique, he lives at Província de Gaza. He graduated in Law from Escola Superior de Economia e Gestão, is a jurist and primary teacher at Vila de Caniçado Guijá. In 2017, he won the literary prize for the 27th International Poetry Contest ALPAS 21, Brazil. He has contributed to the magazines Mahungo, Soletras, Xitende (nationals), Incomunidade (Portugal) and the newspaper Correio da Palavra (Brazil). He's a member of the Associação Cultural Xitende, a poet, reciter, photographer, and organises cultural soirees and poetry festivals in secondary schools at Província de Gaza.


Né à Maputo, au Mozambique, il réside actuellement dans la province de Gaza. Diplômé en droit (École d'économie et de gestion), il est avocat et professeur au village de Caniçado Guijá. En 2017, il a reçu une mention au 27e concours international de poésie ALPAS 21 (Brésil). Il publie dans les magazines Mahungo, Soletras, Xitende (Mozambique), Incomunidade (Portugal) et dans le journal Correio da Palavra (Brésil). Il est membre de l'Association culturelle Xitende, poète, récitateur, photographe, organisateur de soirées culturelles et promoteur de festivals de poésie dans les écoles secondaires de la province de Gaza.

60 views0 comments

Recent Posts

See All