• mapasconfinamento

Henrique Rodrigues





SONETO DE RECLUSÃO



(O tempo chega torto, vem sem jeito,

Espelho de ampulheta mareada.

É novo esse bolor. Repara, cada

Grãozinho destas horas é refeito


Aquém do lado esquerdo do teu peito,

Feito essa solidão tão povoada

De si, sempre esse nada vezes nada,

No mesmo – e vão – pretérito imperfeito.


Mas vê, no vidro um vulto... Ou mais um engano?

Desperta desse pesadelo humano

Cravado no teu círculo diário!


Destrói esta janela! E então, perplexo,

Verás que a tela e o outro eram um reflexo,

E tudo não passava de um aquário.)





SONETO PARA O TEMPO EM SUSPENSÃO



E aconteceu, chegou sem que esperassem

(Porém, o que aguardar na correria,

Se toda a expectativa é para ontem?),

Mas sim, topamos na parada abrupta.


E é hora de guardar, também o tempo,

Que é toda essa matéria disponível

De cada um, do próximo: as distâncias

São meras convenções, repare só


Que todos os segundos são de areia,

Que todos os silêncios são de tato,

Que o céu e o abismo são da mesma via.


“E a espera?”, murmuramos às galáxias,

Aos deuses, nesse afã de uma resposta

Ao tempo que vier depois do tempo.





SEXTINA DE BUMERANGUE

para Olga Savary e Fernando Py



Num tempo quando tudo é mais do mesmo,

Com ritmo de atropelo da palavra,

E todo dia vira o mesmo dia

Não sei mais o que fica e o que passa.

O teto não é lar, reduz-se a casa,

Onde se tenta em vão guardar a vida.


A liberdade é grande feito a vida;

Pequena agora, veja, agora mesmo

Em que parece tão bonita em casa.

Por ser só desenhada de palavra,

Simula o esquecimento, e também passa

Tal como passará mais este dia.


E o dia é noite, e noite é sempre dia,

Como tem se tornado a nossa vida

– Ou sempre foi assim, pois tudo passa

Num esmo aleatório, sempre o mesmo

Caótico castelo de palavra

Transfigurado num abrigo ou casa?


Tal ideia, veja bem, convence e casa

Com tudo o que se vê no dia-a-dia:

Repete-se, palavra por palavra,

Aquilo que se escuta pela vida

Sem filtro ou tato. Veja você mesmo

Se o seu instante grita, aquieta e passa.


O tempo, tão febril, quase não passa.

Também ficou no claustro de uma casa

De espelhos, bumerangue de si mesmo,

Absorto no vaivém de cada dia.

Daí que a morte invada tanto a vida

De súbito, sem nem dizer palavra.


E a poesia, matéria de palavra,

Ideia que tão fica quanto passa

E se desdobra sobre os vãos da vida?

Vai que ela seja a nova estância, a casa

Na qual cada um se põe num certo dia

E vira espaço e tempo. Dá no mesmo,


Pois tempo é mesmo feito de palavra,

Que, a cada dia, fica enquanto passa,

Que casa com a memória e se faz vida.




Nasceu no subúrbio do Rio de Janeiro. Estudou Literatura e Jornalismo Cultural na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e fez mestrado e doutorado em Literatura na PUC-Rio. Trabalha na gestão de projetos de incentivo à leitura e escrita em todo o Brasil. É autor de 16 livros, entre poesia, conto, crônica, romance, infantil e juvenil. Já palestrou em universidades e eventos culturais no Reino Unido, França, Portugal, Espanha e Bélgica. Seu romance "O próximo da fila" foi publicado na França. É cronista do jornal Rascunho e colunista do portal PublishNews.


He was born in the suburbs of Rio de Janeiro. He graduated in Literature and Cultural Journalism from the Universidade do Estado do Rio de Janeiro, and completed an MA and PhD in Literature from the PUC-Rio. He works as a promotor of reading and writing habits in Brazil. He wrote 16 books, including poetry, short stories, chronicles, novels, children’s books. He has lectured at universities and cultural events in the UK, France, Portugal, Spain and Belgium. His novel O próximo da fila was published in France. He’s a columnist for Jornal Rascunho and PublishNews.


Né dans la banlieue de Rio de Janeiro, il est diplômé en littérature et journalisme culturel. Il est titulaire d’un master et d’un doctorat en littérature à PUC-Rio. Il travaille dans la gestion de projets pour encourager la lecture et l'écriture à travers le Brésil. Il est l'auteur de 16 livres, dont de la poésie, des nouvelles, des chroniques, des romans, des livres pour les enfants et la jeunesse. Il a donné des conférences au Royaume-Uni, en France, au Portugal, en Espagne et en Belgique. Son roman «O próximo da fila» a été publié en France: «Au suivant» (Anacaona, 2018). Il est chroniqueur du journal Rascunho et chroniqueur pour le portail PublishNews.

67 views0 comments

Recent Posts

See All